| REFERÊNCIA EM RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA |

Menu

Embolização de Hemorragia Digestiva Alta com Sangramento Intermitente


Paciente com longo histórico de internamento hospitalar, após quadro de Covid que o levou a passar 20 dias de ventilação mecânica e evolui com lesão renal aguda em hemodiálise. Durante a recuperação do quadro na UTI apresentou hemorragia digestiva alta.

ENDOSCOPIA DIGESTIVA ALTA:

  • Na vertente inferior do bulbo proximal, nota-se úlcera profunda, redonda, medindo 15 mm com fundo recoberto de fibrina espessa com pontos de hematina.
  •  Ocupando a parede anterior do joelho duodenal inicia uma grande úlcera que se estende para a segunda porção com cerca de 4 cm. No polo distal dessa úlcera foi identificado um ponto de sangramento por porejamento, adjacente a um grande coto vascular com formação pseudoaneurismática.
  • Realizado controle do sangramento com injeção de 18 ml de solução de adrenalina (1:10.000)
  • Forrest IIa

*Imagem pré e pós a injeção de adrenalina

ENDOSCOPIA DIGESTIVA ALTA

  • Realizada nova endoscopia digestiva alta por ressangramento com achado de úlcera duodenal com pseudoaneurisma. Foi realizado clampeamento (2x) da lesão.

Paciente seguiu com queda da hemoglobina apesar dos 2 tratamentos realizados por via endoscópica. Foi solicitada então avaliação da equipe da radiologia intervencionista para realização de angiografia.

VIDEO: Com o micro cateter encravado foi realizada angiografia demonstrando passagem do meio de contraste para o interior do trato gastrointestinal, seguido de embolização Ruby Coils (Penumbra).

O caso em questão demonstra um achado endoscópico verdadeiro, demonstrando ainda natureza do sangramento intermitente.

Paciente evoluiu bem, com desmame de droga vasoativa e sem novos episódios de queda de hemoglobina. Parou de apresentar melena 2 dias após procedimento. Estabilizou Hb em 9,6. Sendo mantido em UTI para controle das outras patologias